Avaliação prospectiva da remodelação óssea em reabilitações de arco total com implantes tipo cone Morse em 12 meses de acompanhamento: série de casos

Aluno(a): Ángel José Sánchez Reyes
Orientador(a): Prof. Dr. Geninho Thomé
Área: Implantodontia
Ano: 2018

O objetivo deste estudo foi avaliar a taxa de sucesso e sobrevivência dos implantes instalados, a remodelação dos tecidos ósseos da região peri-implantar, e a influência dos dados de saúde dos prontuários dos paciente na remodelação óssea em reabilitações de arco total com implantes tipo cone Morse (GM - Grand Mose, Neodent, Curitiba, Brasil) em um período de 12 meses. Foram selecionados 10 pacientes consecutivos da Faculdade do ILAPEO, nos quais foram instalados 51 implantes para reabilitações tipo protocolo. Foram registradas as seguintes varáveis: níveis do osso marginal, gênero, presença de diabetes, doença periodontal prévia a cirurgia, inflamação local após a cirurgia, pacientes fumante ou não, e região de instalação do implante. Dos 51 implantes todos possuíam acompanhamento radiográfico até T2 (6 - 8 meses) mas, somente 33 possuíram acompanhamento radiográfico até T3 (12 meses). O valor médio osso marginal T0 (pós-operatório imediato) foi de 1,76 ± 0,83 mm na face mesial e 2,34 ± 1,09 mm na face distal. Para T3 os valor médio foi de 1 ± 0,89 mm na face mesial e 1,64 ± 1,11 mm na face distal. A perda média do osso marginal em um período de 12 meses foi de 0,76 mm [0,21 – 1,37 mm] na face mesial e 0,69 mm [0,02 – 1,37 mm] na face distal. As variáveis relacionadas aos dados dos paciente não apresentaram diferença estatística na remodelação óssea em 12 meses de acompanhamento. A taxa de sucesso e sobrevivência dos implante acompanhados neste estudo foi de 100%.

Palavras-chave:: Implantes dentários; carga imediata; osseointegração; reabilitação oral.

DOWNLOAD