Avaliação da espessura óssea em região de crista infrazigomática por meio de tomografia computadorizada de feixe cônico em pacientes adultos

Aluno(a): Daniela Castanha
Orientador(a): Prof. Dr. Augusto Ricardo Andrighetto
Área: Ortodontia
Ano: 2018

O objetivo do presente estudo foi avaliar a espessura total e da cortical em região de crista infrazigomática em pacientes adultos por meio de tomografia computadorizada de feixe cônico. As imagens tomográficas foram obtidas no banco de exames da Faculdade ILAPEO. A amostra foi composta por sessenta pacientes com média de idade de 42,4 anos. As medidas foram realizadas no corte parassagital da TCFC. Medidas no nível do ápice e no ponto médio das raízes disto-vestibular do primeiro molar superior (1º MS) e raiz mésio-vestibular do segundo molar superior (2º MS) foram realizadas. Correlações entre as espessuras ósseas de 1º MS e 2º MS, idade, dimorfismo sexual e ângulo goníaco foram avaliadas. Não houve correlação significativa entre as espessuras ósseas e idade. O gênero masculino obteve uma espessura óssea significativamente maior, 2,53 mm, do ápice da raiz do 2° MS até o final do osso cortical, quando comparado ao sexo feminino, cuja média foi de 1,76 mm. Houve diferenças significativas em todas as medidas avaliadas referentes à espessura óssea na região da crista infrazigomática entre primeiros e segundos molares. A diferença mais significativa ocorreu em relação às medidas realizadas no nível do ápice das raízes do 1º MS e do 2º MS. A distância encontrada do ápice da raiz do 2°MS até a cortical mais externa foi em média 3,48 mm, enquanto que no 1º MS foi de 1,71 mm. Concluiu-se que em todas as medidas avaliadas, o 2º MS apresentou estatisticamente maior espessura óssea quando comparado ao 1º MS.

Palavras-chave:: Zigoma; Ortodontia; Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico.

DOWNLOAD