Reparo ósseo de defeitos provocados em tíbia de ratos, tratados com o uso associado da proteína derivada do esmalte e laser de baixa potência: estudo histológico e imunoistoquímico

Aluno(a): Janderson de Medeiros Cardoso
Orientador(a): Prof. Dr. Valdir Gouveia Garcia
Área: Implantodontia
Ano: 2019

Diferentes métodos de tratamento dos defeitos ósseos têm sido propostos, sem contudo apresentar um método totalmente eficiente e sem limitações. Objetivo: O presente estudo objetiva avaliar o reparo de defeitos ósseos em tíbia de ratos. Material e Método: Cavidades cirúrgicas (2 mm de diâmetro) foram criadas na tíbia de 36 animais que foram separados em dois grupos: CS –não receberam nenhum tratamento, AMELOGENINA+FBM cavidades tratadas com proteína derivada do esmalte (Emdogain®) seguido do tratamento com laser de baixa potência (LBP). Seis animais de cada grupo foram eutanasiados aos 10, 30 e 60 dias de pós-operatório. Resultados: Histologicamente a associação promoveu aceleração na reparação significantemente maior no período de 30 dias. O imunomarcador OCN foi maior no grupo AMELOGENINA +FBM em todos períodos e a TRAP maior aos 10 e 30 dias. Conclusão: Podemos concluir que a associação acelerou a neoformação de tecido ósseo e estimulou o processo de remodelação óssea.

Palavras-chave:: Proteína derivada do esmalte; Reparação óssea; Fator de crescimento; Biomateriais, Laser de baixa potência.

DOWNLOAD