Thagid Almeida e Jessica Przybysz apresentaram casos clínicos durante o congresso da American Association of Orthodontists, em Washington.

Alunas da Especialização do Ilapeo apresentam trabalho no maior congresso mundial de ortodontia

25/05/2018

As alunas do curso de Especialização em Ortodontia, da Faculdade Ilapeo, Jessica Barbar Przybysz e Thagid Yasmin Leal Almeida participaram da Sessão Anual de 2018 da Associação Americana de Ortodontistas. O AAO, realizado no início do mês em Washington, é considerado o principal congresso do segmento promovido pela American Association of Orthodontists - maior e mais antiga organização de especialidades odontológicas do mundo.

Sob orientação dos professores Augusto Ricardo Andrighetto e Leandro Eduardo Kluppel, Jessica apresentou o caso clínico “Hiperplasia Condilar Unilateral: uma abordagem cirúrgica e ortodôntica em um paciente em crescimento”. De acordo com a aluna, o paciente apresentava  crescimento exagerado unilateral do côndilo mandibular e foi submetido a uma cirurgia para a remoção desse excesso. Após seguiu o tratamento com ortodontia. “O resultado foi excelente e o caso é peculiar por se tratar de um paciente ainda em fase de crescimento”, comentou Jessica. Essa foi a segunda vez que ela apresentou um trabalho no AAO. Em 2017 Jessica levou uma revisão sistemática sobre o tratamento precoce em pacientes portadores de maloclusão Classe III. 

 Já a aluna Thagid levou para o congresso o relato de caso clínico sobre “Distalização de molares com aparelho pêndulo e placa lábio ativa”, que foi orientado pelos professores Roberto Hideo Shimizu e Isabela Almeida Shimizu. Segundo a aluna, o caso envolveu o tratamento de um paciente com 10 anos de idade, Classe II. Foram instalados dois tipos de aparelho ortodôntico: pêndulo na arcada superior e placa lábio ativa na arcada inferior. Com isso foi possível obter a correta relação oclusal e alinhamento dentário, sem a necessidade de extrações, que era desfavorável ao perfil do paciente. Para Thagid, a participação no AAO foi muito importante e o apoio da Faculdade foi fundamental. “Os professores da Ilapeo têm uma visão mais ampla da profissão, e além da formação clínica, incentivam muito a pesquisa e a vida científica”, afirmou.